Buscar
  • contato98129

Mulheres Inspiradoras: A Cosmopolita


O mundo é de Gisele (Foto: divulgação)

O tempo não permitiu que ela fincasse raízes. Nasceu em São Caetano do Sul, no movimentado ABC paulista. Passou boa parte da infância em Paranapiacaba, depois Santo André, outros tantos lugares no interior. Mudava de cidade, mas não o destino das férias escolares, sempre vividas (e bem vividas!) em Coroados, município de 5 mil habitantes no interior de São Paulo, a cidade dos avós. Virou endereço dos 18 aos 30 anos. “É minha cidade, onde me reconheço como gente”, explica Gisele Magatti.

A quem fizesse à menina que ia e vinha, de cidade em cidade, a derradeira pergunta “o que você quer ser quando crescer?” ela respondia convicta: independente. Independente como nasceu para ser, Gisele trabalhava em uma loja de carros quando se apaixonou por um namorado de São Paulo. Ao acaso, nas visitas que fazia a ele, esbarrou sem querer na sua vocação. “Queria ter uma profissão em que eu pudesse trabalhar onde eu estivesse, onde quisesse, independentemente de ser contratada. Queria carregar minha profissão comigo. Já era fã de maquiagem. Vi um anúncio de um curso da Vanessa Rozan (maquiadora ultra reconhecida e talentosa). Ela iria oferecer o primeiro curso profissionalizante”, relembra.

Gisele não deixou espaço para que nenhuma dúvida se insinuasse. Matriculou-se no curso. Ninguém na família trabalhava com beleza. Ela era seu próprio modelo e motivação. Encheu-se de coragem, ergueu o nariz que tanto a incomodou na adolescência e embarcou para São Paulo para assistir as aulas, decidida a carregar a profissão nas costas. Depois, voltava para Coroados. Gisele achou que aprenderia a manusear pincéis, a aplicar sombras e iluminadores, mas foi além. Viu as cores das paletas tingirem seu destino. “ Esse curso abriu o meu horizonte. Você conhece gente do Brasil inteiro, eu fiz amigos para toda vida nesses 5 meses de curso. Conheci muito bem a Vanessa. E de lá para cá eu só aprendi muito, muito, muito, muito”, recorda com emoção.

Ela não cabia mais em Coroados. Não cabia na vida que levava. Com a maquiagem Gisele se expandiu. Ela, que nunca fincara raízes, viu no Liceu de Maquiagem terra fértil para desabrochar. Tornou-se assistente de Vanessa Rozan, secretária do Liceu, e fez o mesmo curso mais duas vezes. “ Eu trabalhava durante o dia e à noite ia para o curso para dar assistência para Vanessa. Eu fazia questão de estar lá, de conhecer, e fazer de novo. Eu queria aprender, aprender, aprender “, conta.

Embora a gente nunca saiba tudo, ela aprendeu tanto que tornou-se professora, para continuar aprendendo com os próprios alunos. O passo seguinte foi ser sócia. Trabalhar para semear a alegria de ver a escola crescer e dar frutos.

Mas seus galhos já não cabiam mais ali. “ Eu decidi que eu podia voar, que eu tinha que voar para entender também como era essa vida de maquiadora sem alguém tão importante do meu lado. Eu já admirava muito Guerlain (maravilhosa marca francesa de cosméticos). “ Fui a primeira freelancer da marca e me tornei muito amiga da treinadora na época, que minha amiga até hoje. Ela decidiu pedir demissão e me indicou. Eu tentei entrar na Guerlain nessa época, mas não passei na seleção”, diz Gisele.

Porém, um “não” não podia para-la. Gisele decidira há muito ser imparável. Crescer na vida, para ela, era uma questão de tempo e honra. Ela tentou de novo. E não passou no teste. “Eles não contrataram ninguém. Até que de novo me chamaram para fazer outra seleção. Na terceira vez eu fui contratada Guerlain. Desde 2016 estou na marca. Comecei como treinadora. Agora sou coordenadora e artista da marca e tenho meu time. Ah, eu amo meu time!”, comemora.

Entre bases de longa duração, sombras lindas e super tecnológicas, iluminadores que são sonhos guardados em potes (e as próprias embalagens são obras de arte) o que ela gosta mesmo, de verdade, é de sorrisos. “ O que eu mais gosto na minha profissão é trabalhar com alegria, com gente feliz, gente animada. A gente trabalha com beleza. Nada pode ser melhor do que beleza! A beleza me encanta desde a comida, uma mesa posta, ver uma mulher radiante sendo quem ela é. Então acho que é isso que me move, que me faz acreditar ainda nessa profissão maquiadora. É trabalhar com felicidade quase que instantânea”, analisa.

Nas redes sociais ela ostenta turbantes nos cabelos, colore os olhos verdes aquecendo as pálpebras e batom vermelho nos lábios para falar de maquiagem, com boas doses de alegria e autocuidado. Tem nas mãos produtos de luxo da Guerlain, mas luxo mesmo é curtir os fios brancos que começam a aparecer, amar o nariz que a torna tão linda e singular. “Maquiagem para mim é a oportunidade de sentir melhor em 10, 15 minutos. Maquiagem para mim é sublimar e nunca esconder. Eu trabalho com uma maquiagem simples, fácil e de acesso para todo mundo. Todo mundo é capaz de fazer maquiagem que eu faço. Acho que esse é meu pilar. Hoje eu trabalho para uma marca de luxo, que não é acessível a todos, mas as minhas técnicas estão acessíveis sim”, se abre Gisele.

A resposta de quem descobre com ela os truques para aplicar o blush, ou para se admirar mesmo sem ele, vêm na sequência: “Grande admiração por essa mulher que você se tornou”, comenta uma seguidora, “ Linda”, comentam muitos.

Para aqueles que querem como ela, construir, camada por camada, uma carreira de maquiador, vai a dica: mais importante do que uma boa máscara de cílios é a dedicação. “Desde que eu mudei para São Paulo eu dormia sempre muito pouco e trabalhava muito, estudava muito. Não só maquiagem, mas também comportamento. Eu queria ser maquiadora de noivas. O que me fez chegar até aqui foi trabalho duro, trabalho incansável mesmo, e até hoje eu preciso trabalhar muito, muito e muito para poder continuar crescendo. Então, eu comecei sozinha e hoje eu sei que eu tenho um time inteiro para lidar. É um desafio diário”, ensina.

Claro que ela teve ajuda, como a de Vanessa Rozan e de tantos outros pelo caminho. Claro que ela ainda tem sonhos, como uma carreira internacional e um bebê nos braços. Mas Gisele entendeu que com sua força de vontade, sua dedicação, um pouco de batom e um belo nariz atrevido chega em qualquer lugar. E o lugar dela é o mundo. “ Eu acredito que tudo é possível. Acho que a carreira de maquiadora me faz independente também porque eu não preciso muito de outras pessoas. Eu sou maquiadora e eu posso ser maquiadora inclusive sem ninguém. Eu posso me maquiar e posso inspirar outras pessoas por mim mesma.”

Que sorte a nossa poder aprender com ela!​


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo