top of page
Buscar
  • contato98129

Beleza Sustentável: Biōme, de Natura

Sólidos, como nosso respeito à vida


Os números são preocupantes: o Brasil é o quarto maior produtor de lixo plástico do mundo. São 11,3 milhões de toneladas por ano, com 91% desse lixo coletado, mas apenas 4% reciclados. Não é à toa que aterros sanitários, lixões a céu aberto, matas, rios e o mar acabam sendo o destino da maior parte dos quilos de plástico que cada brasileiro produz. E não é pouco! Calcula-se que seja o equivalente a um quilo por semana, segundo dados da organização WWF.

Quando a gente pensa em nossa paixão pelos produtos de beleza não dá para ignorar a presença do plástico neles. É a embalagem que permite nosso primeiro contato com os cosméticos. No quarto maior mercado de beleza do mundo, segundo os dados mais recentes da Euromonitor, até em 2020, ano em que a pandemia abalou a economia, a beleza se manteve inabalável. Se cresce o consumo, cresce em iguais proporções o descarte dos frascos. Todos os dias, em todos os lugares... E pensar que boa parte desse efeito poderia ser reduzido com atitudes simples, mudanças de comportamento da indústria e dos consumidores. De acordo com levantamento do LCA, um instituto de pesquisa focado no impacto ambiental causado pelas embalagens, 70% das emissões de carbono do setor de beleza poderiam ser eliminados com o uso de refis.

Sim! Uma solução simples, com consequências gigantescas e que é rotina desde 1983 em uma das maiores empresas de cosméticos do planeta. Estamos falando de Natura, que há décadas passou a oferecer refis como opção para os consumidores.

Agora os avanços levam a empresa além. Após seis anos de pesquisas e desenvolvimento, Natura lança linha com shampoo de uso diário, shampoo de hidratação, condicionador, sabonete cremoso e sabonete esfoliante em barra. É Natura Biōme.


Nada se desperdiça


A primeira linha de produtos sólidos da marca é a comprovação de que dá para garantir sensorial e performance nota mil com plástico zero e quase nada de água. Isto porque nos produtos de beleza, a água é apenas o veículo condutor do ativo, numa proporção de 80% e 20%, respectivamente. Ou seja, 80% do seu shampoo é feito de água e vai embora na água.

Para a produção dos ingredientes mais parcerias se fazem urgentes. Não há uso de agrotóxico e as famílias responsáveis pelo cultivo asseguram sua sobrevivência mantendo a floresta de pé. Quer um exemplo? Um dos principais ingredientes de Natura Biōme é o óleo de dendê, produzido no primeiro sistema agroflorestal de dendê do mundo, o SAF Dendê. Liderado pela Natura em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Cooperativa Agrícola Mista de Tomé-Açu (Camta), o projeto cultiva dendê no interior do Pará, protegendo a floresta, a biodiversidade, e garantindo o sustento para os agricultores. Lado a lado com as árvores estão outras plantas fundamentais para a subsistência amazônica: mandioca, banana, abacaxi, cupuaçu, pimenta, ingá, cacau, açaí, bacaba e castanheira.

Da parceria com a natureza nascem cinco produtos em barra: shampoo de uso diário, shampoo de hidratação, condicionador, sabonete cremoso e sabonete esfoliante.

O desempenho de cada um deles é de proporções amazônicas. Cuidam dos fios com delicadeza, assegurando hidratação e brilho. E duram muito! Só para se ter uma ideia, o shampoo em Barra de Biōme tem 90 gramas e rende quase 2 vezes mais do que um shampoo líquido de 200ml. O Condicionador de Biōme tem um rendimento 7 vezes superior a um condicionador líquido. Rende 111 lavagens enquanto um condicionador líquido de 200ml rende 15 aplicações. Não é impressionante?

A gente ainda destaca as embalagens de papel reciclado e reciclável, e um perfume único. A casa da perfumaria desenvolveu uma fragrância tão incrível quanto a linha, mistura de uma nota amadeirada marcante a partir do coração de Copaíba, óleo essencial da biodiversidade brasileira, que se entrelaça com a pureza verde do Vetiver.

Para guardar tamanha preciosidade também há muita inovação: as barras são armazenadas em uma caixinha de bioresina, feita a partir de captura de gás metano, fruto de uma parceria de Natura com a startup californiana Mango Materials.

Quando a preocupação com a sustentabilidade anda de mãos dadas com a busca pelo lucro e o comércio justo, os resultados vão muito além dos muros da empresa. Dados do relatório de impactos de Natura revelam que em 2022, a cada R$1 de receita o negócio gerou R$2,70 em benefícios socioambientais para o planeta e para a sociedade. Assim, a gente deixa as madeixas e a consciência limpas. ​


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page