GRAPHIC NOVEL
A história começa num madrugada qualquer, na São Paulo em preto e branco. Um homem é acolhido pelos paramédicos, sem memória, sem reações, portando uma katana, uma espada japonesa tradicionalmente usada pelos samurais. Como em um filme de ação a cena é cortada. No plano seguinte estamos em Osaka, no Japão. Assim é  “Samurai Shirô” , do quadrinista reconhecido mundialmente Danilo Beyruth.

A obra conta a história de lutas sangrentas pelo poder, honra familiar e do reencontro violento com o passado, vivido no agora por samurais modernos e a Yakuza -máfia japonesa. Em ritmo veloz, como é a vida nas grandes cidades a narrativa de “Samurai Shirô” trata de sentimentos de vingança, das lembranças e sagas dos tantos milhares de imigrantes japoneses que vieram para o Brasil a partir de 1908. No centro da trama filhos distantes do Japão: Akemi, uma adolescente amargurada pela morte do avô, e um homem sem memória, o Shirô do título.

O livro, publicado pela Darkside Books, nasce atrelado à adaptação para o cinema, com roteiro batizado de “Princesa da Yakuza”. Antes que chegue à tela grande vale a pena mergulhar nas quase 200 páginas da história, em capa dura e com um acabamento especial de dar inveja a mafiosos.

Título: “Samurai Shirô”

Autor: Danilo Beyruth

Editora: Darkside Books